Existe mais poesia no olhar de quem ama de que em mil poemas que se escrevam, mas nem por isso devemos deixar de escrever mil poemas para mostrar ao mundo o que esse olhar dizia... assim nasce o meu humilde blog de poesia...
poetrycafe
Domingo, 13 de Maio de 2007

Melancolia

alvo.jpg

Saio e entro na noite

sem lanternas nos olhos

nem medo a fingir coragem

triste apenas de estar sozinho

comigo,

de mãos dadas comigo,

estas árvores do passeio

( são verdadeiras estas árvores )

fazem-me sonhar poesia

de rouxinóis cantando,

ou romanos vermelhos

de amantes perseguidos,

pobres amantes clandestinos.

 

O Outono começa a ser real

a semear melancolia nos caminhos,

o vento abandona-se ( quem diria! )

ás folhas sonâmbulas

sem pudor das estrelas que vigiam

os devaneios da noite lá em cima.

 

Reabro a porta da minha solidão

e entre, mas só.

A noite deixo-a aos amantes

e aos mendigos, aos felizes afinal.

 

Ah! Este silêncio!

Já me doem os sentidos.

 

                                                                                F. Neto


publicado por efeneto às 00:48
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Eärwen Tulcakelumë a 14 de Maio de 2007 às 15:04
Meu amigo, estar sozinho às vezes conosco é bom...mas que não seja extenso esse teu momento, pois irás fazer-me ir buscá-lo. Refletir por um tempo é bom...mas não se mantenha na solidão, minhas mãos estão aqui para ampara-lo se preciso for.

Deixo-te pérolas incandescentes de companheiros, banhadas no rio de lavas que em meu mundo corre.

Eärwen
14.05.07


De efeneto a 14 de Maio de 2007 às 16:04
Passageiro amiga...pensamento passageiro que com o tempo de vai diluindo...sem este momento por vezes a vida não tem sentido...como diz o poeta tudo na vida tem o seu momento...sei que posso contar com suas mãos, não me esquecerei disso...beijo doce.


De manuela a 14 de Maio de 2007 às 16:10
Um poema maravilhoso!... a associação do outono à melancolia fruto do silencio... a solidão pode ser aproveitada como escape aos sentimentos negativos...uma forma de se encontrar a si mesmo...mas não fiques preso a ela muito tempo!


De efeneto a 14 de Maio de 2007 às 16:26
Amiga Manuela, tal como disse á nossa amiga Earwen, um pouco de "Outono" na nossa vida (nem que seja só por momentos, como foi o caso), nos faz ver coisas que o nosso estado normal não alcança. E tu sabes bem como é delicioso por vezes termos estes "estados de alma". Um beijo cheio de amizade.


De mellopaulo a 18 de Maio de 2007 às 03:35
Um belo poema, embora inundado de uma certa nostalgia, amigo. Há momentos assim em que nossa alma precisa desafogar-se de algumas tristezas, e como encontramos nas palavras uma forma de catarse, lá ficamos nós a espalhar versos que dizem de um estado de alma mais soturno. Ainda bem que existem as outras estações para nos lembrar que o Outono é apenas uma delas. De qualquer forma, amigo, um belo poema.

Amigo, sei que estou em falta contigo, e aproveito para me redimir e desculpar-me pela demora em aceitar teu convite para postar no blog. Prometo que até o final de semana eu compareço, ok?

Um abraço e votos de dias aconchegados de paz e alegria para o teu coração.


De efeneto a 18 de Maio de 2007 às 15:43
Olá amigo Paulo...Alguém fez as estações do ano e o Outono é o símbolo da melancolia....um pouco de melancolia nos faz ver o mundo de outra maneira...temos que escrever o nosso lado menos alegre da vida...faz-nos sentir aliviado...obrigado pela visita e cá esperamos pela sua vinda para o nosso blog ...bom fim de semana.


De Ardeth a 18 de Maio de 2007 às 12:41
Meu amigo nesses momentos que descobrimos onde estamos (as vezes dura e crua realidade), embora chegue "a doer os sentimentos" partimos daí em busca do onde queremos chegar.

Funciona como uma pausa para nos redirecionar! Gostei muito! Abçs ....


De efeneto a 18 de Maio de 2007 às 15:47
Olá amigo...ora aí está o que eu senti ao escrever este poema...a vida não é feita só de palavras "cor-de-rosa", por vezes tem espinhos e é preciso escrever esses espinhos...obrigado pela visita e um bom fim de semana para si e para os seus.


De SOL a 19 de Maio de 2007 às 03:26
Querido amigo...como sei do que estás sentindo!!!não faz mal,faz bem á alma encontrarmo-nos a sós com nós próprios e por vezes ajuda-nos tanto a sobreviver.Dentro de nós nesses momentos existe duas versões da vida... a tristeza misturado com um não sei quê de felicidade...esperança...tudo se junta e nos dá mais forças!És um homem de coragem e muita humildade...!!!Beijinhi amigo


Comentar post

*sou eu...

*Já viu as horas?...

email27efeneto@sapo.pt

oferecido por:

http://estrelademim.blogs.sapo.pt/

*links

*posts recentes

* Mudança...

* Receber... e Dar.

* SÓ TU DOCE CRIANÇA

* Dia Mundial da Criança...

* Poesia... Sonhos e Verdad...

* RUÍNAS

* OLHO DE PERTO A TRISTEZA.

* Melancolia

* LÓLINDIR TINÚVIEL

* Uma Canção feita de Mim

* Para ti Mãe…

* VIDA NUMA LÁGRIMA PERDIDA

* Hei, Pai!...

* ...Poeta castrado, não!.....

* Libertação...ccc

* ...ter-te...

* A menina, o pássaro e a f...

* Sei que a Primavera vai d...

* Le temps d`un instant...

* O Vento...

*os meus blogs





Link-me!

*arquivos

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

blogs SAPO

*VISITAS OBRIGATORIAS